Contatos

       

    Oficina encerra Capacitação dos Profissionais da Odontologia Brasileira para a Atenção e o Cuidado da Pessoa com Deficiência

    Grupo-Saber-300x225

    Encontro reúne coordenadores de todo o Brasil

    No último fim de semana, 22 coordenadores estaduais da Capacitação dos Profissionais da Odontologia Brasileira para a Atenção e o Cuidado da Pessoa com Deficiência se reuniram, no Recife, para avaliar o trabalho desenvolvido até a conclusão da quarta e última turma, no mês passado. A primeira foi aberta em setembro de 2013. Durante a solenidade de abertura do encontro, o consultor do Ministério da Saúde, Dr. Reginaldo Inojosa, falou sobre a importância da Capacitação. Segundo ele, “o curso faz parte de um projeto maior do Governo Federal, o Plano Viver Sem Limite, que busca ampliar a inclusão de um grupo na sociedade que, por muito tempo, não recebeu a atenção que merece. Esta Capacitação é pioneira no Brasil e tem um alcance único”.

    O curso com uma carga horária de 120 horas de teoria e outras 40 de prática foi ofertado a profissionais que integram equipes de saúde bucal, sendo o primeiro neste formato e em número de vagas no Sistema UNA-SUS. Para Cristine Gusmão, coordenadora geral do Grupo SABER, que é responsável pela execução do curso, a Capacitação foi um sucesso. “Em dois anos, foram quatro turmas e 6.600 inscritos. Esses profissionais não tiveram aula de Odontologia, isso eles já sabiam. Eles aprenderam como é fazer o atendimento de pessoas com deficiência. Isto é a inclusão de todos. Daquele que atende e do paciente que precisa e deve ser atendido”.

    O caráter de cidadania e o aspecto humanitário são destaques nesse projeto que tenta minimizar uma dívida social que o país tem com as pessoas com deficiência, física ou intelectual. Na avaliação do coordenador geral, Arnaldo França, “a área de saúde ainda é muito preconceituosa e alega falta de conhecimento para não fazer o que é preciso, mas não é. O protocolo não muda. A mudança está no acolhimento desse paciente. O profissional da Odontologia não deixa de ser também responsável pela inclusão social dessa pessoa com deficiência. Nós lidamos com pessoas que não sabem expressar a dor, que se ausentam da sociedade por causa de um problema bucal, muitas nem sorriem. É necessário humanizar o atendimento”.

    De acordo com a coordenadora técnica da Capacitação, Josiane Machiavelli, o curso alcançou seus objetivos: “criou material didático para uma área carente de produção e que já está sendo usado por várias instituições de ensino no Brasil e integrou profissionais das 27 unidades federativas em um ambiente virtual, permitindo que eles discutissem o processo de trabalho na área de atenção e cuidado da pessoa com deficiência.”

    Sergipe foi um dos estados que apresentaram melhor resultado. Dos 146 inscritos, 121 concluíram o processo que alcançou uma excelente sintonia entre as partes prática e teórica do curso. “A gente já havia entendido que precisava dominar um conhecimento para esse público. Decidimos então trabalhar juntos em nome de uma causa maior. Este foi um curso de excelência”, avalia a coordenadora estadual da Capacitação em Sergipe, Ignez Aurora dos Anjos Hora.

    Não são apenas os profissionais que comemoram o sucesso do trabalho. As famílias dos pacientes também. Em Santa Catarina, na região Sul, foram vários os relatos. A coordenadora estadual do projeto no estado, a cirurgiã-dentista Eliana Bastos, conta que “os parentes das pessoas com deficiência atendidas ficaram extremamente felizes e satisfeitos com o ganho de qualidade de vida e auto-estima dos pacientes. Isso é maravilhoso.”

    A Capacitação também foi determinante no plano de trabalho para 2016 da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais, Sudeste do Brasil. No estado, agora, o orçamento contempla ações específicas para este público no âmbito da saúde bucal. Segundo a coordenadora estadual da Capacitação, Mirna Guimarães, “foi por causa do curso que eles conseguiram fechar o ano com aumento de incentivo, bônus para equipar a estrutura para postos de atendimento, elaboração de diretrizes da pessoa com deficiência e ações de capacitação e seminários para alunos. O curso mobilizou a todos e isso não acontecia antes”.

    No próximo trimestre, uma nova oferta educacional para capacitar os Profissionais da Odontologia Brasileira para a Atenção e o Cuidado da Pessoa com Deficiência vai ser aberta. Com uma diferença: o curso será todo autoinstrucional, ou seja, sem tutoria e sem a etapa prática. É uma forma de ampliar o acesso aos conteúdos trabalhados no curso. Mais informações, quando disponíveis, estarão publicadas no portal do SABER: www.sabertecnologias.com.br.